Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Anilton Levy


Sexta-feira, 21.09.12

Anilton Levy: 2º classificado no concurso Internacional de Poesia


Jovem Caboverdeano Vence Concurso Internacional de Poesia do Jornal Tempo Ética / Anilton Levy

Em Tarrafal, no extremo norte da ilha de Santiago, Cabo Verde, surge nova promessa da poesia local.
Anilton Jorge Lopes  de Souza Levy, vencedor do segundo lugar do Concurso Internacional de Poesias – Inspirações do Século XXI, realizado pelo jornal cultural o Tempo Ética, com apoio do ICL, versa sobre a sua bela poesia “Deus da-nos tchuba”.

Sentindo a grande necessidade do povo da ilha de Santiago em ter chuvas para amenizar a constante seca, mesmo apesar do contorno do oceano Atlântico, os ventos alísios enviam sempre a umidade para as Caraíbas, deixando toda a gente a pedir a Deus o envio de chuvas. No período da seca caboverdeana surge a desesperança do povo com a falta d´agua, as plantações que podem não vingar, a fome aguda e a confiança em Deus na preservação da vida o levaram a compor este poema pedido de todo o povo para que as chuvas voltem a correr pelas serras, amenizando o calor, postergando a sede e irrigando as roças de milho, feijão, mandioca, batatas, abóboras e proporcionando o verde da relva nas encostas.

Diz-nos ainda que reuniu sessenta de seus poemas e editou uma brochura para presentear os amigos com os seus prosaicos versos e reclama do atual contexto do turismo que se apresenta neste momento em que Cabo Verde se preparar para dinamizar este item da economia e dar um maior alento aos seus cidadãos. Os turistas que aqui chegam não têm o hábito de apreciar a comida local e acaba forçando os restaurantes a servirem às internacionais batatas fritas.

Deus danu txuba 

Alimenta nha povo ku bu agu
Modja txon,
Kaba ku ês cunfuson
Di bo é di grasa
Bem kaba ku ês disgrasa

Batiza Cabo Verde ku verdade
Inda nu sta num país xeio de promesa
Bem kubri nha tera de verde
Tempo pasa mas sufrimento inda ka pasa

Dja sta bom di injuria
Gota gota intxi nos alma
Sara nos tristesa
Disperta nos nocentesa

Dexa-el kori ladera
Kori ku es dor
Dexa-el txiga na nos

Poi dixi di céu, kel ki na terá sta sukundido
Dexa sol brilia di dia
Dexa lua brilia di noti
Bana nos calor ku bu bento
Mata nos sedi ku bu agu

“Injustiça de mundo fez de mim um poeta,
Dor dos cabo-verdianos por dentro, são as minhas lágrimas por forra, e
tento desabafa-las em cada traço da minha caneta…”
 Anilton Levy 
fonte:Instituto Cultural Lusófono

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 16:20


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Deixa Perguntas


buy livro Alma, Amor e Arte

ebook de poemas de Anilton Levy


calendário

Abril 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930






on facebook