Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Anilton Levy



Quinta-feira, 27.09.12

Violência domestica


Violência domestica

No começo o sorriso
Palavras lindas
Jardim de flores
Anel para comemorar San Valentin
Chocolate para celebrar anos de namoro
Aceitas casar comigo
O juramento
Felicidade parece sem fim
Com tempo o desgaste
Palavras grosas
Conflitos, gritos
Ofensas…
Tudo irá mudar, apenas promessas
O belo virou fera
Não há espaço para paz, apenas guerra
Já não é amor
Talvez seja ódio
Tormento e dor
Mulher que chora
Homem malvado
Os filhos também choram
Parece que já não são mais amados
Valores perdidos
Respeito assassinado
O fim Aproxima
O desparro
Mulher que revolta
O fim da dor que não termina...

Anilton Levy

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 06:00

Quarta-feira, 26.09.12

Lembro aqui

escrevi tantas coisas,

mas perderam com o tempo...

esse tempo que me irrita,

tantas coisa uteis, ditas

muitas foram lidas

e no tempo foram esquecidas


hoje escrevo versos de saudade

saudades daqueles que não souberam ficar

tanta ânsia e vontade

vontade que me deixa a-vontade para amar

momento de felicidade

momentos de rir e de chorar...

desejo que passa em sílabas

Anilton Levy

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 06:10

Terça-feira, 25.09.12

Aprendendo

Para escrever alguma coisa, eu tive que ler muita(s) coisa(s)

Ainda aprendo, aprendo todos os dias...

Sei que não sou perfeito, mas o que escrevo pouco a pouco caminha(m) pela perfeição

Escrevo sobre mim e dos que me rodeiam

Já errei, e ainda erro, mas cada vez mais erro menos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 11:00

Terça-feira, 25.09.12

Serpente do sentimento

Larga-me,

Deixa-me ir

Larga-me,

Solta-me do seu pensamento

 

Larga-me,

Liberta-me por completo

De onde vem esse tormento?

Da para ver pra fora

O que sinto por dentro

Entre querer e o oposto

De onde vem essa perturbação que sinto

Sem querer prendes-me em ti

Sinto-me preso por ti

 

Já não quero mais

Solta-me

Faz mal o que é demais

 

Anilton Levy

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 06:00

Sábado, 22.09.12

Luta pa liberdadi


Palavra kria mágua
Mágua pasa lentu
Pensamentu kria rivolta
Pé finkadu na txon
Dor di alma, dor di corpu
Dor diskansadu
Tenpu ki pasa lentu
Morti injuriadu
Sodadi volta na tenpu
Tenpu perdi kaminhu

Angústia ultrapasa injúria
Língua tranka na kunpanheru
Tradison bira mas forti
Na tenta ser forti durba forti
Sangui diramadu sen medu
Medu tropesa na speransa
Sperança Trufudja na atitudi
Atitudi ronba lágua
Lágua corta corenti
Tristeza diskarapi di alma

Nôs laço ta ultrapasa ses paso
Movimentu di guera bira gestu di dansa
Melodia di ordem frakise ku txabeta
Tereru spludi di alegria
Cintura treme di emoson

oxi es ta djobi nu ta djobi es ta fla nu ta fla
Ricorda pasadu é triste
Obriga volta pa pasado é crime…


Anilton Levy

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 06:00

Sexta-feira, 21.09.12

Foi assim


Águas caindo no chão

Bate forte no portão

Fica para sempre, não parta não

Fica e alegra meu coração

 

Há muito que não ouvia esse barulho

Barulho?

Não! Música

A inimiga da seca

A desejada que deixa saudade

Única que consegue fazer ser verdade

O nome do meu país

Faz nascer o que na terra dá raiz

 

Sorrisos dos mais velhos alegram-me

A tua presença inveja a fome

Contigo por perto, a nossa alegria não dorme

 

Águas corriam por todo lado

As crianças corriam para ver o acontecido

És a visita mais esperada

Para o meu povo és ausência do nada

Cai de novo na nossa estrada

 

Chegas de mansinho

Fica mais um pouquinho

Para quê tanta pressa?

O meu povo clama pela tua presença

 ...

para todos os cabo-verdianos

ANILTON LEVY

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 16:47

Sexta-feira, 21.09.12

Á Musa Homenagem a INÊS RAMOS

Inédito

O fanzine A Musa nasce para homenagear e agradecer Inês Ramos, ela que fez ser possível o nascimento do fanzine Banda Poética.

“À Musa – para jamais te olvidar”, da autoria de quatro cabo-verdianos: Anilton Levy, António Teixeira, Álvaro Cardoso e Sai Rodrigues.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 16:32

Sexta-feira, 21.09.12

Agora sou Arte

Eu e a minha obra de arte
Agora sou Arte
Não faço 
Sou feito
Existo na tua mente
Seja Artista e me cria
Não existo sem Você
Sou Arte
Não sou Artista
Na sua mente existo
Da sua mão nasço
Me deixa crescer
Imagina-me
Inspira e Transpira-me
Já chega de fazer
Quero ser feito
Me faça do seu jeito
Não precisa ser perfeito
Apenas quero ser real
Anilton Levy

para alem de actor e poeta, também tenho algum jeito pela arte da pintura

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 16:26

Sexta-feira, 21.09.12

Anilton Levy: 2º classificado no concurso Internacional de Poesia


Jovem Caboverdeano Vence Concurso Internacional de Poesia do Jornal Tempo Ética / Anilton Levy

Em Tarrafal, no extremo norte da ilha de Santiago, Cabo Verde, surge nova promessa da poesia local.
Anilton Jorge Lopes  de Souza Levy, vencedor do segundo lugar do Concurso Internacional de Poesias – Inspirações do Século XXI, realizado pelo jornal cultural o Tempo Ética, com apoio do ICL, versa sobre a sua bela poesia “Deus da-nos tchuba”.

Sentindo a grande necessidade do povo da ilha de Santiago em ter chuvas para amenizar a constante seca, mesmo apesar do contorno do oceano Atlântico, os ventos alísios enviam sempre a umidade para as Caraíbas, deixando toda a gente a pedir a Deus o envio de chuvas. No período da seca caboverdeana surge a desesperança do povo com a falta d´agua, as plantações que podem não vingar, a fome aguda e a confiança em Deus na preservação da vida o levaram a compor este poema pedido de todo o povo para que as chuvas voltem a correr pelas serras, amenizando o calor, postergando a sede e irrigando as roças de milho, feijão, mandioca, batatas, abóboras e proporcionando o verde da relva nas encostas.

Diz-nos ainda que reuniu sessenta de seus poemas e editou uma brochura para presentear os amigos com os seus prosaicos versos e reclama do atual contexto do turismo que se apresenta neste momento em que Cabo Verde se preparar para dinamizar este item da economia e dar um maior alento aos seus cidadãos. Os turistas que aqui chegam não têm o hábito de apreciar a comida local e acaba forçando os restaurantes a servirem às internacionais batatas fritas.

Deus danu txuba 

Alimenta nha povo ku bu agu
Modja txon,
Kaba ku ês cunfuson
Di bo é di grasa
Bem kaba ku ês disgrasa

Batiza Cabo Verde ku verdade
Inda nu sta num país xeio de promesa
Bem kubri nha tera de verde
Tempo pasa mas sufrimento inda ka pasa

Dja sta bom di injuria
Gota gota intxi nos alma
Sara nos tristesa
Disperta nos nocentesa

Dexa-el kori ladera
Kori ku es dor
Dexa-el txiga na nos

Poi dixi di céu, kel ki na terá sta sukundido
Dexa sol brilia di dia
Dexa lua brilia di noti
Bana nos calor ku bu bento
Mata nos sedi ku bu agu

“Injustiça de mundo fez de mim um poeta,
Dor dos cabo-verdianos por dentro, são as minhas lágrimas por forra, e
tento desabafa-las em cada traço da minha caneta…”
 Anilton Levy 
fonte:Instituto Cultural Lusófono

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 16:20

Sexta-feira, 21.09.12

Biografia: Anilton Levy

Anilton Jorge Lopes de Sousa Levy, Cabo-verdiano, natural de Tarrafal de Santiago, lembra claramente das composições que fazia na escola, do seu envolvimento com o teatro, quase por obrigação, isso porque, fazia a pedido da sua professora. Mas, nunca imaginava que a escrita e o teatro viriam fazer parte da sua vida.

Em 2006, com 17 anos de idade, Anilton Levy entra num grupo de dança e de teatro "Fidjus di Bibinha Cabral", onde viria a desenvolver o seu espírito artístico. Em
2009 Anilton Levy começou a traçar os seus pensamentos no papel, mas nem lhe passava pela sua cabeça que em 2011 viria ver os seus pensamentos publicados nos jornais online, e receberia um convite de Mauro Mouro para participar num concurso internacional de poesia, onde viria a ser 2º classificado, com o poema "Deus danu Txuba".

Nesse mesmo ano 2011, Anilton Levy cruzou com o actor João Pereira (Tikai), que o convidou para participar num DVD de teatro chamado "Rapazinho Intentado",
baseado na música de Nha Nacia Gomes com o mesmo nome, a partir dai Anilton Levy passou a ser "Rapazinho Intentado", um apelido que ganhou do público cabo-verdiano.

No final de 2011 AL disponibiliza gratuitamente na Internet uma colectânea de poesia intitulada "Outra Estrada".
Para concluir as caminhadas feitas em 2011, em 2012 o jovem recebeu o troféu de "Jovem Tarrafal 2011", um reconhecimento dos jovens do grupo "Tarrafal Vinti Um".

No ano 2012, publicou mais uma coletânea de poesia denominada “Noite de Luz” em que os internautas propuseram o tema de poesia.

Participou no projecto “Despertar” a convite da direção da Biblioteca Municipal de Tarrafal, projecto este que visava a promoção da leitura, livro e ensinamento de teatro nas escolas e jardins infantil.

Participou com as suas poesias numa coletânea de Fanzine denominada “Banda Poética”, a par de mais 5 jovens cabo-verdianos.

Partcipou no DVD de Teatro intitulado “Pikinina”.

Foi um dos vencedores do concurso de poesia “Poesia de amor”, realizado no Brasil, como premio Anilton viu a sua poesia no livro “o livro do amor”.

AL, considera que o seu envolvimento com o mundo cultural lhe permitiu mostrar o seu talento, e que o seu despertar aconteceu muito tarde. Mas reconhece que há muitos caminhos pela frente, e que seguira com o objetivo de fazer brilhar a cultura.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Anilton Levy às 16:19


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Deixa Perguntas


buy livro Alma, Amor e Arte

ebook de poemas de Anilton Levy


calendário

Setembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30






on facebook